Como escolher o melhor isolamento

A escolha do isolamento adequado para uma construção pode ter um grande impacto em termos de consumo de energia e de conforto. Neste guia, analisamos vários tipos de isolamento com base na sua função, formato, material, local de instalação e desempenho.

Isolamento: ver produtos

  • Como escolher o isolamento certo?

    Isolamento térmico da JOHNS MANVILLE

    Isolamento térmico da JOHNS MANVILLE

    Isolar corretamente um edifício é essencial para reduzir o consumo de energia e melhorar o conforto térmico que os ambientes proporcionam. A escolha do isolamento vai depender de vários elementos, como o tipo de proteção pretendida (térmica, acústica ou ambas), a superfície a ser isolada (telhado, paredes, etc.) e o espaço disponível nessa superfície para instalar o isolamento.

    Principais critérios a ter em conta:

    • Tipo de isolamento e desempenho técnico pretendidos
    • Local de instalação
    • Formatos e materiais disponíveis
  • O que importa saber sobre o desempenho do isolamento?

    Painel de isolamento acústico da ETERNO IVICA

    Painel de isolamento acústico da ETERNO IVICA

    O desempenho global do isolamento depende de diversos fatores, nomeadamente das suas propriedades propriedades térmicasacústicas, bem como da sua correta instalação. Além disso, o isolamento deve atender às normas de construção vigentes, incluindo os requisitos de resistência ao fogo. Estas são algumas das principais características técnicas a ter em consideração:

    • O valor λ (lambda) corresponde à condutividade térmica do isolamento, medida em W/m.K (watts por metro e por kelvin). Quanto mais baixo esse valor, melhor.
    • O valor R indica a resistência térmica do isolamento, medida em m2.K/W. É calculado dividindo a espessura do material (em metros) pela sua condutividade térmica. Quanto mais alto o valor R, maior resistência o isolamento apresenta à transmissão de calor.
    • O valor U indica a transmitância térmica, ou seja, a quantidade de calor que é transferido através de um elemento ou componente construtivo. Quanto mais baixo for o valor U, melhor. O valor U da envolvente, ou envelope construtivo, de uma edificação (elementos que separam o ambiente interno do externo) é calculado com base na transmitância térmica de cada camada.
    • As classes de reação ao fogo indicam o comportamento dos materiais de construção ao fogo e estão definidas em normas que podem variar consoante os países. A escolha do isolamento deve, portanto, estar de acordo com as normas vigentes no seu país. Por exemplo, na União Europeia, a norma EN13501-1 estabelece as Euroclasses, um sistema de classificação do grau de combustibilidade e emissão de fumaça dos materiais de construção.
    • O isolamento acústico é medido em decibéis (dB) e refere-se à diferença entre o nível de ruído no ambiente emissor e no ambiente receptor. A redução da propagação de ruído de um espaço para o outro depende da qualidade de montagem dos componentes construtivos que separam os ambientes, bem como da capacidade de absorção sonora de cada material.

    É crucial que os restantes elementos utilizados na envolvente do edifício (barreiras de vapor, camadas de impermeabilização, etc.) sejam corretamente instalados e compatíveis com o isolamento escolhido, a fim de garantir maior eficácia e durabilidade desse isolamento.

  • Que partes de uma construção podem ser isoladas?

    O isolamento é instalado principalmente em telhados, fachadas, paredes e pisos. Para se obter um melhor desempenho térmico, é imprescindível isolar todos estes elementos corretamente, embora o telhado seja considerado o mais importante, uma vez que é através dele que podem ocorrer as maiores perdas térmicas.

    Isolamento externo de cobertura plana da IKO

    Cobertura plana com isolamento contínuo da IKO

    Isolamento para telhados: um telhado sem isolamento pode representar cerca de 25% das perdas de calor de uma edificação. O tipo de isolamento e de instalação deste devem ser escolhidos tendo em conta fatores como o tipo de construção, a inclinação do telhado, o clima da região e as normas de construção. O isolamento tem de ser compatível com o sistema de cobertura e restante envolvente da edificação. Em caso de dúvida, não hesite em consultar um profissional.

    Deixamos aqui alguns exemplos:

    • Telhado inclinado com desvão não isolado: o isolamento é instalado por cima do forro, seja ele de madeira, gesso ou uma laje, e deixando-se um espaço para ventilação. Desta forma, a área entre o telhado e o forro não fica isolada, o que significa que dificilmente poderá ser aproveitada como área habitacional. Se nesta se encontrarem instalados tanques de água e encanamentos, poderá ser necessário aplicar-lhes isolantes térmicos, em particular em regiões frias para evitar que a água congele.
    • Telhado inclinado com desvão isolado: o isolamento é instalado entre as telhas e a estrutura de suporte do telhado, por baixo da manta de impermeabilização, ficando assim mais protegido contra os agentes atmosféricos. Embora seja um tipo de instalação mais caro do que o anterior, o desvão fica isolado, podendo ser transformado em sótão habitável.
    • Cobertura plana com isolamento descontínuo: o isolamento é colocado entre as vigas por cima do teto. Não é tão eficiente quanto o isolamento contínuo devido às probabilidades acrescidas de uma instalação incorreta, o que pode resultar em pontes térmicas, problemas de condensação ou até mesmo degradação do telhado.
    • Cobertura plana com isolamento contínuo: o isolamento térmico é instalado sobre a estrutura do telhado, por baixo da camada impermeabilizante. Neste tipo de instalação, são por vezes usadas placas rígidas de isolamento.
    • Cobertura plana com isolamento invertido: o isolamento é instalado por cima da camada impermeabilizante.
    Painéis de isolamento de fachada da MITTEN

    Painéis de isolamento de fachada da IKO

    Isolamento para fachadas: o isolamento térmico de fachadas pelo exterior tem geralmente um melhor desempenho do que se for aplicado pelo interior, pois apresenta menor risco de pontes térmicas e de condensação, para além de não roubar espaço no interior da edificação. No entanto, a sua instalação pode sair até 50% mais cara e poderá mesmo não ser autorizada se a fachada existente não puder ser alterada, como acontece em sítios históricos urbanos.

    Isolamento para paredes: a escolha do tipo de isolamento e de instalação vai depender da localização e do estado da parede, em particular do seu nível de umidade e da regularidade da superfície. No caso de paredes muito úmidas, poderá ser necessário instalar uma segunda parede (stud wall), geralmente em placas de gesso acartonado, a uma certa distância da parede em alvenaria, para permitir uma ventilação adequada.

    Isolamento para pisos: no mercado, estão disponíveis diferentes tipos e formatos de isolamento para o piso. Em pisos suportados por uma estrutura de madeira, há isolantes térmicos projetados para serem colocados entre os barrotes da estrutura. Há, ainda, mantas e painéis isolantes que podem ser instalados sobre o contrapiso e por baixo de revestimentos de piso, sejam eles cerâmicos, em madeira ou carpetes, para atenuar a ressonância. Também existem placas de isolamento concebidas especificamente para pisos aquecidos, a fim de facilitar a sua instalação e evitar perdas de calor.

  • Quais os formatos e materiais de isolamento disponíveis?

    Isolamento acústico em borracha da KRAIBURG RELASTEC

    Isolamento acústico em borracha da KRAIBURG RELASTEC

    Ao escolher o formato do isolamento, certifique-se de que opta pela solução mais adequada ao seu projeto, para garantir maior facilidade de instalação e melhor desempenho térmico e/ou acústico. Listamos aqui as principais opções de formatos, com suas aplicações e materiais mais comuns.

    Os materiais de isolamento a granel e de isolamento pulverizado / injetado são ideais para preenchimento de áreas com formas irregulares, bem como das estruturas de suporte de pisos e paredes onde não seja possível obter uma cobertura uniforme com a manta isolante. Estes tipos de isolamento são fáceis de colocar, mas podem compactar-se com o tempo. Quanto aos materiais que os compõem, os mais comuns são a lã mineral, a celulose, as fibras de madeira e o poliuretano.

    As mantas isolantes (em rolo) são a solução mais utilizada no isolamento térmico de paredes, pisos, tetos, telhados e dutos. Os materiais das mantas isolantes, como a lã mineral e a fibra de vidro, são, por natureza, incombustíveis, apresentam resistência à radiação UV e ao bolor, além de possuírem boas propriedades termoacústicas. Estão frequentemente disponíveis em tamanhos normalizados para facilitar a sua instalação entre vigas, barrotes e outros elementos das estruturas de suporte. A borracha, nomeadamente o EPDM, é frequentemente usada para isolamento acústico por baixo do piso devido à sua alta capacidade de absorção de sons e vibrações.

    As placas e os painéis isolantes são geralmente mais caros, mas também mais rápidos e fáceis de instalar. É imprescindível executar corretamente o acabamento das extremidades das placas e das uniões com elementos da estrutura para evitar espaços no isolamento e, por conseguinte, possíveis riscos de pontes térmicas, transmissão de sons ou condensação. Alguns produtos são constituídos por camadas de diferentes materiais para melhorar o desempenho geral do isolamento acústico, a respirabilidade e/ou as propriedades refletivas.
    Os painéis de isolamento a vácuo (também chamados VIP, do inglês Vacuum Insulation Panels) são isolados por meio de um sistema de vácuo, como o próprio nome sugere. O ar é removido do interior do painel, dando lugar ao vácuo. Embora os painéis de isolamento a vácuo sejam bastante caros, apresentam uma resistência térmica mais elevada e são mais finos do que outros formatos de isolamento.

  • Que opções de isolamento natural existem?

    Isolamento em lã de ovelha da SIG PLC

    Isolamento em lã de ovelha da NATUREPRO

    O uso de materiais naturais de isolamento, em vez de materiais sintéticos, pode oferecer uma série de vantagens, como o fato de serem biodegradáveis e altamente respiráveis, além de evitar a utilização de produtos químicos tóxicos e emissões de compostos orgânicos voláteis (COV). A fabricação de produtos em materiais naturais, como o cânhamo, consome menos energia do que a produção de materiais sintéticos. Certos isolantes naturais, como a palha, permitem mesmo o reaproveitamento de resíduos.

    Contudo, muitos materiais naturais são mais caros do que os sintéticos e podem precisar de tratamentos suplementares contra insetos ou a umidade. O cânhamo, a lã de ovelha, as fibras de madeira, o algodão e a palha constituem alguns dos materiais naturais de isolamento mais comuns. Se se decidir por um isolamento natural, certifique-se de que opta por um material adequado ao seu projeto, que atenda às normas aplicáveis, e escolha um profissional qualificado para o instalar corretamente. A lã de cânhamo pode ser colocada de forma semelhante à lã mineral entre vigas e outros elementos das estruturas de suporte; no entanto, alguns materiais naturais de isolamento, como os fardos de palha, podem exigir técnicas especiais de instalação e um planejamento cuidadoso para evitar problemas de umidade.

GUIAS RELACIONADOS
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...
Ainda não há comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será visível. Os campos de preenchimento obrigatório estão assinalados com *